segunda-feira, dezembro 15, 2008

frágil




Tão frágil a certeza, se o universo
Me reclama infinito!
Tão frágil o seu silêncio!
Quão frágil é o meu grito!
......................................................
Abri a janela
E entre mim e ela
Um beiral erguido
Em prosa

Sustinha no vento
Um poema
Flor, a que chamei
Rosa

Tão frágil
Como o perfume
Das palavras
Que colhi

Tão frágil
Como o ciúme
De outras rosas
Que perdi

Recolho a flor
E o sonho
Fecho a janela

Deito-me sobre o corpo
E acaricio o rosto
Da frágil certeza dela

Tão frágil como o universo
Tão frágil como este verso
Tão frágil como este grito

Fecho os olhos
Só lhe vejo
Todo o seu infinito…

jorge@ntunes

1 comentário:

@lexis disse...

A minha certeza é tudo menos frágil...
Também te amo muito!

Related Posts with Thumbnails