quinta-feira, março 19, 2009

pó das estrelas




Não há memória sem passado
o futuro é, de quem está para vir
amanhã, é um velho ainda jovem
que o tempo imemorável fará sentir

tudo é pó que se ergue
moldado por uma qualquer fé
no final, a matéria da memória
é tudo o que foi e não é

é um ventre enigmático
o universo que nos gera
dá-nos a eternidade do sonho
a letal idade da matéria

hoje e agora é a vera ideia
do passado e do futuro
todo o resto é mero tempo
tempo lato, obscuro...

jorge@ntunes

1 comentário:

@lexis disse...

Raras certezas tenho
Pouco me prenderá aqui
Mas é inevitável amar-te
Tal como não evito respirar

O tempo tem a medida da tua própria eternidade em mim

Related Posts with Thumbnails