sexta-feira, fevereiro 29, 2008

sentidos




Na clausura dos sentidos
A irreverência descreve
Um movimento adjacente
Ao acto que imune prescreve

A ruptura com o sonho
A frieza imposta no movimento
A dilacerar a razão
Impõe-se anárquico momento

A roçar o ambíguo
A resguardar-se no medo
A penitenciar-se equívoco
A ousar-se em segredo

Repousa assim em delírio
De uma febre alucinante
O gesto cúmplice da morte
Vida que foi um instante

jorge@ntunes

1 comentário:

Geminiana disse...

Gostei do que li.Tem sentido os teus sentidos.Estás coberto de razão.Palavras escritas em poucos minutos, possuem a capacidade de nos confortar, de nos acalentar e também de nos magoar...palavras escritas tem uma força imensurável.
Basta receber um Oi,um Olá ou mesmo um kiss.

ADORO-TE!

Ficas na Paz :(


Bjs

Related Posts with Thumbnails