domingo, fevereiro 24, 2008

poema ao vento




Diz-me o universo
Que eu sou verso
De um poema

Que nas palavras
Vidas sonhadas
São um dilema

Uma passagem
Pra outra margem
Outro existir

Outro universo
Outro verso
Outro sentir

E no final
Serei igual
Ao que parti

Sem saber
Ou entender
O que escrevi

Então quem sou?
Pra onde vou?
Há mais de mim?

Quanto universo
Haverá num verso...
No poema um fim?

.......................

Quero escrever outro poema
Ser verso de outro tema
Num universo só meu

E fazer da outra margem
O espelho da minha miragem
Outro, que fosse apenas eu

Acordar-me com um beijo
Do sono que foi desejo
Na morte que me calou

Ver-me em meu braços, sorrir
Escrever-me na areia, partir
Poema de vento que sou

jorge@ntunes

1 comentário:

Geminiana disse...

Divinal !Um poema como muitos, de belas palavras... sinceras e sentidas.
Estou encantada! Com coração a mil.
Sinceramente,você me enlouquece com teus versos...me transporta,me faz viajar no vento...é demais a emoção...tuas palavras escritas são como tatuagens em mim...acredite.ADOREI!

Parabéns!Querido Amado!

Beijinhos ternos e carinhosos:)

Ficas na Paz!

Related Posts with Thumbnails