quarta-feira, outubro 24, 2007

asas




Apetece-me
Divagar na plenitude
De qualquer nada

Usurpar o pensamento
Analítico
Do vagamente

Demolir
A descrença
Somente...

Apetece-me
A inquietude
Que não supero

Olhar de frente
O que não quero

Partir em duas
A perfeição

Supor o sonho
Despregar-me da cruz
Da redenção

Rir...
Rir, antes, durante
E depois
De chorar

Apetece-me
Em toda a duvida lógica
A intolerância de ficar

Apetece-me
Cilindrar o tempo
Faze-lo seguir
À velocidade da luz

Desmistificar
A eternidade
Que o seduz

Apetece-me
Desintegrar-me
No limiar de uma alvorada...

.............................................

Fazer do meu corpo
As asas da alma...

jorge@ntunes

3 comentários:

Anónimo disse...

...e o que te impede?

Marta disse...

Amei isso!
Meus comentários são meio repetitivos, mas que vou fazer se adoro 95% dos seus poemas?!
adoro você tbm, mesmo que você me abandone no msn!
beijos

Paula Antunes disse...

É bom voar mesmo sem termos asas...

Beijokas

Related Posts with Thumbnails