terça-feira, fevereiro 21, 2006

primavera/outono



Se não voltares
para me apanhares
em cada Outono que volte

voarei para longe de ti
folha morta que daqui
se perderá no vento norte

fui viçosa, generosa
fui esperança no teu olhar
fui raiz que calorosa
te susteve e soube amar

fui teu resguardo teu poiso
fui teu par e confidente
tua luz e tua sombra
fui tua, tua somente

deite-te de mim o que tinha
a exuberância da natureza
a ti dei a minha seiva
a minha força e a pureza

e agora que se vai
a Primavera que fui tua
agora que padeço e murcho
que rugosa e seca me tenho nua

de mim ousas fugir
para outro lugar risonho
que aqueça o teu desejo
longe deste meu Outono

jorge@ntunes

2 comentários:

Ana P. disse...

Vim deixar um bom dia e um beijo

Geminiana disse...

Meu anjo lindo, confesso que está sendo uma tarefa difícil, falar qualquer coisa sobre teus poemas, pois gosto, tanto, tanto do que escreve, que quando te leio a emoção toma conta de mim e não sei oq escrever.Só posso te dizer que Gostei muito!! Tá DIVINO,melhor só o autor rsrss.Adoro-te + e +.
Deixo-te um beijinho c/Amor. e fica na Paz.

Geminiana

Related Posts with Thumbnails