sexta-feira, fevereiro 10, 2006

asas



Traço um sonho no horizonte
linha ténue, ondulante ao vento
poiso nela as minhas asas brancas
chegadas de outro momento

repouso no seu balançar
de batalhas passadas
cicatrizo as feridas
nestas horas vagas

no vento o alento encontro
toque doce de silêncio e paz
tempo de expiação
de um passado mordaz

e após a eternidade
nova vontade
levantam-se as asas caídas
o mar levou-me as feridas
e o desejo o olhar triste
renascido do nada
induzo-me a nova batalha
no sonho que em mim persiste

num voo rasante
quebro a linha
do que foi o ultimo instante

rasgo os céus crente
de um novo poente
um novo caminho

hoje quem sabe, não poise sozinho
hoje, talvez, poise pra sempre

jorge@ntunes

5 comentários:

Paula Raposo disse...

E as asas vão-nos levando...Beijos, bom fim de semana.

Ana P. disse...

Hoje deixo-te apenas...

...beijo...

Neith disse...

Empresta-me as tuas asas...belíssimo poema. Um beijo enorme

Geminiana disse...

Adorei o poema ...o quadro está belissímo.Anjo meu,voe com estas tuas lindas asas brancas... Que este voo seja para tua liberdade, que sirva para afastar as ameaças de tristeza e magoa do teu coração.
Aproveite e passe aqui, traga-me um pouquinho de paz.Deixo-te um beijinho c/amor e ficas na Paz.

2sexy4u disse...

Bem... amigo... tu superas-te a cada poema!
Um beijo grande e um bom fim de semana.

Related Posts with Thumbnails