sexta-feira, janeiro 13, 2006

luz




Escrevo este poema
à luz da vela
e como ela (a luz)
a minha alma está tremula

a minha mão oscila
a minha vontade declina
serei eu este poema?
Será esta a minha sina?

Parecem-me estranhas as palavras
parecem mais tremulas do que eu
há algo nelas tão delas
há algo nelas de tão meu

escrevo este poema
do qual não sei o tema
do qual não sei o fim

talvez escreva para esta vela
que na minha frente se revela
a única luz para mim

jorge@ntunes

4 comentários:

Anónimo disse...

Meu lindo!Confesso que vc me deixa atônita, sem saber oq comentar.Um belo poema, porém triste, retrando teu estado de espiríto.Fique certo de que existe outra luz que te ilumina.De qualquer forma vc está passando pra quem te ama, o que estás sentindo na alma e no coração.Vou respeitar os teus sentimentos.Beijinhos c/carinho


Ps: Abra a porta do teu coração e deixe o amor entrar...serás feliz.

Paula Raposo disse...

Nas palavras existe tudo de ti, isso é o mais importante...beijinhos

☆Fanny☆ disse...

E a luz da vela pode ter um poder que tu próprio desconheces. Quem sabe esta pequena luz que está à tua frente...não te ilumine o labirinto em que te encontras.

Estou aqui...muitas vezes em silêncio, mas sentindo as tuas palavras.

Um abraço de LUZ*

Fanny

Anónimo disse...

Meu anjo lindo, estou passando e quero te desejar um feliz dia.Um grande abraço com muita saudades.

Estou a ouvir esta música que me deixa com mais saudades...Vc não acha que chega de castigo?pense nisso. Bjs

Related Posts with Thumbnails