sexta-feira, julho 03, 2009

aguarelas da alma


aguarela de RENÉ CHAR


O vento trouxe
Doutro sonho, doutra tela
Novo poema
Em tons de uma aguarela

E tinha luz e tinha cor
Tinha a alma de um pintor
Poeta que não escrevia
Mas tinha nas mãos o ardor
No olhar o fado e a dor
E uma saudade que ria

E assim pintou o vento
Que na tela breve passou
Mas seu sonho de aguarela
Em sua alma demorou

Quadro para sempre eterno
Esculpido de tinta e mar
E o que o vento espalhou
Foi o rubor do seu olhar

E nos céus assim nasceu
Entre cada lágrima vertida
Um poema, uma tela
Um arco-íris de vida

Porque sempre que o homem sonha
Nem sempre o mundo avança
A menos que o homem seja
Colorido em tons de criança

Numa tela que o vento trouxe
De um poema de aguarela
Sem poeta, sem pintor
Apenas um sonho à janela…

jorge@ntunes

2 comentários:

http://toninha.abn.zip.net disse...

LINDOOO!
Beijinhos carinhosos:)

o Nosso cAstelo disse...

linda a 3 estrofe, sobretudo...escreves tão bem!

Related Posts with Thumbnails