segunda-feira, fevereiro 02, 2009

palavras




Se um dia escrever um poema
Que conte o que já sonhei
Serei talvez um poeta
Desses que nunca foi Rei

Se as minhas palavras um dia
Forem gestos de poesia
Que tenham algum sentido

Nesse dia morrerei
Nesse dia serei Rei
De um reino lato e perdido

Nenhum poeta é vivo
Nenhum poema tem vida
Nenhuma palavra sustenta
A certeza que se inventa
Real, basta a mentira!!!

Eternidade!!!???
Nem o louco a deseja depois da morte!!!
Ao poeta basta-lhe as vidas que o consomem
E fatalmente um dia, alguém mata o poeta.
E entre aplausos e vivas, fazem dele Rei-Homem….


Ai! Se o poeta sonhasse
Acordado, a sentir
Era o morrer do poema
Era um poeta a fingir


jorge@ntunes

4 comentários:

http://toninha.abn.zip.net disse...

Parabéns!Fantástico...palavras sinceras e verdadeiras.AMEI!

Beijinhos:)

Fica na Paz!

impulsos disse...

Não há dúvida nenhuma de que tu és um poeta desses a sério.
Um poeta que é rei na sua arte de escrever sentimentos e devaneios.

Sempre te admirei!

Beijo

@lexis disse...

A eternidade tem a medida do próprio tempo.

Bravo Poeta!

M. disse...

Fingir poesia? aqui pelo menos seria impossível. A poesia é enraizada na alma. Brota de dentro para fora. E o interior nunca finge.

abraço

Related Posts with Thumbnails