terça-feira, abril 08, 2008

sombra





Quantas vezes
Me falaste em partir
E falavas de lugares que nunca viste
Quantas vezes na partida
Ao partir
Jamais partiste

Sentavas-te na estrada
Com a alma amargurada
Sem saberes

Se o caminho
Tinha forma ou destino
Para te perderes

E já cansada
A tua imagem sussurrava
Adjectivos de desalento

E eu, a sombra desse teu aperitivo
Que o apetite invadia imperativo
Arrastava-me impaciente pelo vento

Quantas vezes
Não partiste
E eu partindo
Fui voltando ainda mais negra

Quantas vezes
Não sentiste
Eu saindo
Por essa porta mal fechada, mal aberta

Não sou apenas a tua sombra
Que te segue cegamente
Tantas vezes és tu que assombras
Este teu Eu
Que sonha e sonha partir
Perdidamente...


Ás vezes, digo teu nome
Em voz alta, para sentir
Que tu, de alguma forma
Aparentes ainda, existir

Se não vais, se não partires
Solta-me ao menos de ti
Estou preso sombra na tua sombra
Tão preso que já parti...

jorge@ntunes

2 comentários:

Geminiana disse...

Anjo Amado,belíssimas palavras. sombra... fragmentos do passado...hoje,convertido em saudades.Estou encantada,cada vez mais, com teus pensamentos!

ADORO-TE! My Love!

Beijinhos carinhosos:)

Fica na Paz

Anónimo disse...

nossa esse me fez chorar...lindo!!!

Related Posts with Thumbnails