quinta-feira, março 13, 2008

antebeijo



Antevejo no dissecar do beijo
O frio gume da saudade

O tempo mata sempre
A certeza à verdade

E assim se vai riscando
Cada sonho ao desengano
No livro da nossa alma

Onde uma estória se conta
De um, era-uma-vez-um-faz-de-conta
Em cada página rasurada

E porque nada é eterno
Nada que seja desta vida
Há sempre, dissimulado em cada beijo sincero
O hálito gélido da despedida

jorge@ntunes

3 comentários:

Geminiana disse...

E assim se vai riscando
Cada sonho ao desengano
No livro da nossa alma

Esta é a dura relidade...
Muito lindo e sentido o teu pensar.
Um pouquinho triste para quem anda a deriva ,assim com Eu.Mas as tuas palavras tem o dom de me alegrar.
Obrigada por mais este belo poema.
Parabéns!!!
Deixo-te um forte abraço e beijinhos c/ carinho:)

Fica na Paz!

Paula Antunes disse...

Beijos....para ti....

Dark-me disse...

Concordo não concordando ctg :)))

Há coisas q são eternas!

Dark kiss

Related Posts with Thumbnails