terça-feira, novembro 13, 2007

bicho-homem




Afinal o que é o Homem
Senão bicho convencido que é gente?
E gente, não é, nem bicho
Gente é, poesia somente

Gente é imagem, vulto de Deus
Ele próprio poema.
Enleados num universo
Do qual ambos se crêem principal tema

Poema é a forma audaciosa do sonho
E o sonho é a dimensão do pensamento
O que rege a carne é desejo de bicho
Gente, é poema, ilusão inconsequente do tempo

jorge@ntunes

2 comentários:

Paula Antunes disse...

O que seria de nós sem os Homens.

Beijos

€aµ disse...

Olá, Jorge.
Tentando uma redenção pela demora em vir agradecer a visita que fizestes ao Mar de Palavras... não tão imenso assim como dissestes, mas um tanto vasto quando me perco lá pelas ondas.
Mas vim e agradeço sua ida.
Li alguns dos seus textos, muito bons... ouvir a música, ondas sonoras que parecem o marulho que envolve.
Bom estar aqui.

Voltarei sempre que puder.

[i]"Gente, é poema, ilusão inconsequente do tempo"[/i]

Um poema inconseqüênte que sempre encontra um verso ainda por ser dito...

:o)

Related Posts with Thumbnails