segunda-feira, junho 19, 2006

vícios

Não me ocorre nada
Nem uma palavra me soa na alma.

Já é mais por vício que me dou à escrita.

Em uma mão o cigarro, na outra a caneta.
Arde o cigarro indiferente, queima-me a mão a “pena”

Dois vícios cúmplices desde as horas primeiras.
Um que me corrói o corpo,
Outra que me consome as ideias.

Hoje o cigarro não me sabe
E vazio me acho de versos...

Merda pra isto!!!...
Ah, malditos vícios, em mim perversos.

jorge@ntunes

5 comentários:

Manoel das Couves disse...

Em http://abanacao.blogspot.com estão disponíveis dois inquéritos que pretendem (de alguma forma) intervir na Consulta Pública sobre a proposta de Legislação antitabágica que o Governo apresentou. O que é também uma forma de participação cívica, para que outros não determinem autocraticamente aquilo que também nos diz respeito.

MFR

Geminiana disse...

Meu querido,mesmo se achando vazio de versos, saiu belo teu texto,quanto ao vício do cigarro, posso te afirmar por experiência própia,é difícil para vc se libertar da noite para o dia , mas com força de vontade vais conseguir.Tente se livrar deste maldito vício, pense na sua saúde que é a dádiva de Deus mais importante para o ser humano.Tenho meios para te ajudar, acredite.Não desanime vais VENCER.


JESUS TE AMA E EU TAMBÉM

Um grande abraço:)

Geminiana

Paula Raposo disse...

ADOREI!! Merda mesmo, no sentido de sorte antes de entrar em cena!! Beijos.

Paula Antunes disse...

Maldito vicio!!!!!

O do tabaco claro...

Beijinhos e vê lá se deixas de fumar...

anrasaxa disse...

Grande vicio.. o de escrever :)

Related Posts with Thumbnails