terça-feira, fevereiro 14, 2006

ÁS VEZES/sem sentido



Às vezes tenho idéias felizes,
Idéias subitamente felizes, em idéias
E nas palavras em que naturalmente se despegam...

Depois de escrever, leio...
Por que escrevi isto?
Onde fui buscar isto?
De onde me veio isto? Isto é melhor do que eu...
Seremos nós neste mundo apenas canetas com tinta
Com que alguém escreve a valer o que nós aqui traçamos?...

Álvaro de Campos





O sentido da vida não faz sentido
loucura seria se o fizesse
sem sentido subsiste a dúvida
e sem a dúvida, nada acontece

o homem perfeito é toda a sua imperfeição
que sentido teria a inércia de não se ter ilusão

não me caber nas palavras o que em mim por si só já não cabe
é a gloria de me sentir vivo
nenhum paraíso será nunca o destino
para o filho do fruto proibido

sentido, é sentir
é partir, é voltar
e voltar a partir

ao homem que se quer homem
homem de H infinito
sobra-lhe o tempo de uma vida
presa a um olhar aflito

jorge@ntunes

5 comentários:

Paula Raposo disse...

Poderias ter sido tu, precisamente a ter escrito o que o Poeta escreveu...Não vou comparar, mas o teu poema está lindo! Beijinhos.

Ana P. disse...

Como sempre, adorei....
Acho que ninguém se cabe nas palavras que pode escrever, pois escrever é desabrochar, é pegar apenas na caneta e deixar o sentimento fluir....

moon between golden stars disse...

O mágico Jorge...
boa tarde!!!
jinhus

Geminiana disse...

Anjo meu,posso te garantir que este teu poema,está fantástico!!!Beleza pura...Amei!!!

sentido,é sentir
é partir,é voltar
e voltar a partir

Tem sentido...Muito bonitoooo
Beijinhos c/ carinho

Geminiana disse...

Mon amour, esta música é linda!!!
Adoraria recebê-la como presente.
Guardarei com carinho e amor...
Se puder mande-me p/ meu e-mail.
Beijinhos e bons sonhos...
Geminiana

Related Posts with Thumbnails