segunda-feira, agosto 31, 2009

palavras na bruma




Há na eloquência das palavras
Toda a alma do poeta
É o reverso do sonho
Quando o sonho se revela

Apenas a utopia
Em traços gastos se desnuda
E a palavra sem sentido
Traz a verdade nua e crua

Na sensação da pena adormecida
Escreve-se o louco sonhador
De rimas que são a vida
Memórias que são de dor

E cada lágrima é uma ira
Um vendaval sempre incontido
É entre a bruma a miragem
O poema prometido

Algures escondido nas palavras
Eloquentes, na folha cálida, sadia
Negra tinta, negro sonho
Quanta bruma é a vida…

E depois da escrita feita
Das palavras concebidas
Eloquente é o sonho
Poema que ama as rimas

As rimas de mais não serem
Do poeta ou da palavra
Tornam-se vida e partem
Por entre as brumas da alma…

jorge@ntunes

3 comentários:

Aмbзr Girℓ ⅞ disse...

lindo...

Algures escondido nas palavras
Eloquentes, na folha cálida, sadia
Negra tinta, negro sonho
Quanta bruma é a vida…

versos muitos bem feitos. parabéns.

Blog Suicide Virgin

Geminiana disse...

Belíssimo poema.Palavras na bruma é pura emoção!Ler-te faz-me passear pelo infinito,como se asas eu tivesse e vivenciar um sonho.

Meus sinceros PARABÉNS...AMEI!!!

Beijinhos:)

Lucia disse...

Belo poema...carregado de emoção, de múltiplos sentidos; não poderia ser diferente, vindo de uma pessoa sensível como tu. Parabéns!

Abraços

Related Posts with Thumbnails