sábado, janeiro 31, 2009

fado




Que me importa
Que me importa não sentir
Quando te vejo partir
Quando me bates com a porta
Se partes só por partir
Se o fazes por repetir
O que fazes a toda a hora


Deixai-me chorar um pouco
Apenas um pouco mais
Deste choro que é a vida
De lágrimas sempre iguais

Deixai-me escrever a dor
Que só ela me elucida
Se todas as minhas lágrimas
São o mar da minha vida



Que me importa
Que me importa não fingir
Quando voltas a pedir
Quando me bates à porta
Se a abro só por abrir
Para me veres a sorrir
Por ti, a toda a hora


Deixai-me chorar um pouco
Apenas um pouco mais
Deste choro que é a vida
De lágrimas sempre iguais

Deixai-me escrever a dor
Que só ela me elucida
Se todas as minhas lágrimas
São o mar da minha vida

jorge@ntunes

1 comentário:

@lexis disse...

Enquanto escreves a dor
Deixa-me secar-te as lágrimas

Beijo do tamanho do meu amor por ti, meu coração de chocolate, doce e terno!

Related Posts with Thumbnails