terça-feira, novembro 04, 2008

pedras





Se em vez de sentir, pudesse apenas existir
Ser como um rio que corre sem o saber
Uma pedra que é pedra, «sem querer»
Pudesse eu «sentir» assim…

Que sem sentir não faria sentido isto
Este sentir que existo
Mas que sonho não sentir…

Se tudo for tão escuro quanto é
Se tudo for só matéria e fé
Palavras e vento

Se tudo for isto
Que sinto, que existo
Que insinua o tempo?

Que me dirá a ciência
Analisada a «alma»
Plo seu microscópio?

Que me dirá?
Que a não há?!!!

Que afinal apenas existo?

Se a farsa for assim descoberta
Poderão dizer-me
Porque sinto eu,
E não sou pedra?!!!


As pedras não sentem, mas existem
- Outro que sinta, pra que eu exista!!!

Outro, que escreva por mim o que não sei que escrevo!
Outro que sinta!
Que eu sem sentir, subscrevo…
Sem as palavras dos que sentem…
Apenas com o silêncio dos que mentem
Ou apenas existem, fatalmente

jorge@ntunes

2 comentários:

@lexis disse...

Apenas existes
Apesar de sentir
Apenas pensas
Apesar de escreveres
Apenas és ... ou apesar de seres?

catarina disse...

Bem, Paula, tb escreves muito bem!

bjs aos dois

Related Posts with Thumbnails