sexta-feira, novembro 11, 2005

flor



Não sei de ti...
nem dos lugares
que percorri
apenas para te ter
hoje acordei
e não sorri
porque quis esquecer
e não esqueci

lá fora
do outro lado da janela
há um mundo
que não espera
que não pára para ver
este momento
que sou
este sonho que pecou
ao nunca querer morrer

não sei de ti...
e lá fora há um jardim
apenas sonhado por mim
aonde é sempre Primavera
onde um dia te perdi...
minha flor que não mais vi
doce aroma de quimera

jorge@ntunes

6 comentários:

gnose disse...

E por aqui continuo... a vaguear vorazmente por entre as palavras... e tantas vezes possuindo o contorno dos teus versos... Um beijo de um "tamanhinho assim"...

MEDUSA disse...

Passei por aqui...li-te...mais uma vez,adorei!!
Bjos

mar_praia disse...

Por vezes também "não sei de ti..." :)

O texto está muito bem escrito!

Beijões enormes e voto de excelente fim-de-semana

Anónimo disse...

Ah! querido...Belo poema,mas tens de te libertar do passado.A vida é bela e tens de sorrir e ser feliz.
Pense nisso...Não sofra, pois, vou
sofrer junto...Aquele beijo...Até.
Ficas em Paz.
*Geminiana*

moon between golden stars disse...

Retribuo a visita e prometo voltar...
Np meu planeta estrelado vou criar uma via rápida para este teu universo de poesia...
Um abraço e até jazzz

Paula Raposo disse...

Está lindo! Subtil...beijos, bom fim de semana

Related Posts with Thumbnails