domingo, outubro 17, 2010


Vamos sentar na beira do universo
Degustar um café e um cigarro
E deixar às nuvens que passam
As lágrimas do nosso passado

Vamos sorrir, rir no espelho
A nossa caricatura
Vamos falar de coisas tolas
Esboçar uma aventura

Escrever um poema no vento
Amar um pouco esse silêncio
Com que o céu nos brinda
Vamos até ao fim do tempo
Recordar este momento
Como delírio em vida

Vamos segurar o voo da última gaivota
A nossa pele sedenta da hora
De ser tocada
Poisar nosso derradeiro olhar
No profundo azul do mar
Leito da nossa alvorada

Vamos ficar
Até a noite chegar de mansinho
E a lua nos guiar
Para lá do caminho

Caminho de flores e de cheiros
De sabores e de desejos
Que pla mão nos toma o verso
Nesta harmonia de solfejos
Em uma serenata de beijos
Mesmo à beira do universo

POETIK

4 comentários:

Angélica Lins disse...

Vamos brindar com café??
=)

Adorável!!!

Ana Paula disse...

Sempre tão solitário, até na partilha.
Mas que a aurora chegue tardia, e esse "brinde" (café??!) seja manso e delicado, nesse tal jardim cheio de flores perfumadas, que só despontam em noites caladas.
Rsrs, muito lindo Poeta.

Valéria Sorohan disse...

Mais um poema seu que me pega de jeito. Gostei também da imagem...tudo perfeito.

BeijooO*

Geminiana disse...

Gostaria de comentar...de te dizer algo,mas fico muito emocionada quando te leio.Não sei explicar pq de tanta emoção.
PARABÉNS PELO LINDO TRABALHO!
Deixo-te um beijinho c/ carinho.

Geminiana

Related Posts with Thumbnails