sexta-feira, janeiro 23, 2009

oscilações




Omissão minha ou não
Escondo versos por ai
Não os escrevo, não os leio
Vivem apenas em mim

Ás vezes sinto a vontade
De apagar cada palavra
Das que escrevo no papel
Das que escrevo só na alma

De que me servem os versos?
Ou as fantasias que traço?
De que me servem esses rascunhos?
Poemas nunca acabados…

O que me falta afinal?
Que me toma assim o tempo…
Porque gasto tinta e lágrimas
Em versos, que leva o vento…

Porque me sento eu aqui
A sentir, a divagar?
A ver apenas com a alma
O que não vejo ao olhar…

Mesmo que rasgue meus versos
Que faça deles outro nada
Ficam-me sempre, e para sempre
Os escritos, só na alma…

jorge@ntunes

2 comentários:

http://toninha.abn.zip.net disse...

Falta-me palavras para descrever a beleza destes versos.Magnífico!Amei!Sem sombra de dúvidas,és um grande poeta.Parabéns...Beijos

@lexis disse...

Mesmo que rasgues os teus poemas
Ficar-me-á sempre a poesia do teu olhar

Related Posts with Thumbnails