segunda-feira, novembro 19, 2007

poema




Quantos poemas meus
És tu...
Palavras de papel
Que a minha gaveta
Guardou

És tu...
Quantos poemas meus
A minha pena ditou

Fechados no escuro de um lugar
Num fundo escuro do meu olhar

Palavras que foram sonhos
E vida para lá das palavras
Vida que na vida se perdeu
Páginas a um livro rasgadas

Hoje
Por descuido ou vontade
Uma nesga da gaveta se abriu
E uma folha indiscreta
Curiosa ou por saudade
Revelou-se...
Foi poema...
Foi vontade...
Pegou no vento...E partiu...

jorge@ntunes

3 comentários:

Paula Antunes disse...

Eu já fui um poema teu...

Muito lindo e a imagem é expectacular.

Beijos no teu coração.

Patrícia Lara disse...

Oi Jorge!
Vc esteve no meu blog, "levado pelo vento"... rs
Eu vim retribuir a visita e aproveitei pra ler os seus poemas.
Olha! Vc está de parabéns!
É um poeta e tanto!!!
ADOREI tudo por aqui!
Voltarei mais vezes. Um grande abraço... até a próxima!
:)
AH! Já ia me esquecendo... eu posso publicar essa sua poesia lá no meu blog? Eu adorei! Claro que vai com os devidos créditos... não se preocupe. rs
Beijos... tchau.
Patrícia Lara

Geminiana disse...

Esplêndido está este teu poema e também a imagem.Parabéns!Gostaria de falar mais,mas hoje estou muito triste ,com a alma em prantos,pois perdi uma pessoa muito estimada e por este motivo estou sem inspiração... meio perdida.Quem me dera poder ouvir de ti algumas palavras de conforto :(:(

Ps:Por ironia do destino aconteceu dia 18 um mês depois do seu aniversário.

Um Beijinho e fica na Paz!

Related Posts with Thumbnails