domingo, outubro 23, 2005

uma noite do nosso amor



Fulmino teus olhos

deliram em fogo

ardem em chamas

num arrepiar louco



tocam-se os corpos

desejos sem fins

prazeres de mil beijos

de envoltos cetins



um ventre sedento

inunda meu corpo

e nele eu me banho

...e tudo é tão pouco...



e vou ao céu

e grito ao luar

e dentro de ti

derramo o olhar



e o teu respirar

no meu se mistura

e tudo é desejo

e tudo é loucura



toco-te a alma

nos seios ardentes

levo-te à boca

os beijos mais quentes



e tu já és

quem sonhas-te ser

e eu já não sou

quem não desejas-te ter



e morres em mim

e em ti me concebo

sacio meu corpo

no desejo que bebo



suspiras, deliras

e eu a nascer

e dou-te a vida

que me faz morrer



e juro não mais,

eu ser de ninguém

em corpo em alma

na vida no alem



e no nosso suor

de prazer e dor

escreveu-se a palavra...

...a palavra...

...amor...


jorge@ntunes

5 comentários:

mar_praia disse...

Sei que não tenho deixado comentários ultimamente mas ando numa fase em que não consigo escrever o que sinto! No entanto não podia deixar passar este poema belíssimo!

Mais uma grande obra que nos deste hoje!

Beijão enorme e desculpa...

Paula Raposo disse...

É tão belo, tão belo que nada posso dizer! Adorei! Beijinhos, Jorge, escreve sempre. E esta música é divinal!

Anónimo disse...

Jorge, vou ser muito franca, este Poema mexeu muito comigo...Tu sabes bem disso...Aja adrenalina pra resistir tanta emoção...Tá lindo.

Ps: Nota máxima para o quadro.
Bjs
Geminiana Sonhadora

Neith disse...

Soberbo!!!! Dois corpos que se entregam e se fundem num só...desejos que se saciam, prazeres que culminam num extâse total. Beijo enorme :)

Anónimo disse...

"Sem o amor, a vida seria um erro."

Beijinhos

Paula Antunes

Related Posts with Thumbnails