terça-feira, outubro 18, 2005

destinos















a arte de Filipa Guardado


E a voz disse:
A morte, é desígnio dos DEUSES...Não tua, pobre mortal... aceita o destino que te foi legado... A morte, será a recompensa da tua fugas existência... Mas apenas quando assim for decidido por aquele que é dono da tua alma...
A jovem sorriu, ainda teve tempo de sentir o gesto patético daquele ser imponente que a tentava... Depois, olhou para o abismo na sua frente, de uma imensidão maior que a sua alma, maior que o seu DEUS... Sorriu novamente, fechou os olhos e lançou-se no vazio e disse para a voz: - Eu mando no meu destino...





A noite brindava os seus olhos com a calma de um fim breve, o vento trazia-lhe a lembrança de um outono distante, onde fora semente de um tempo que a tornara mulher. As duas luas pendentes no céu escarlate tinham um brilho mais intenso que em outras noites, o reflexo dos dois astros nos seus olhos davam-lhes uma ténue grandeza em comparação com a vida que emanava de tão doce olhar. Um arrepio percorreu o corpo da jovem, ela, envolveu-se nos seus braços, chegou-se ainda mais para o beiral da janela, o seu corpo nu recebeu mais intensamente o alito da noite, os seus cabelos esvoaçaram como a sua alma, sem fé e sem destino. Rodopiou sobre si mesma, num movimento perfeito em sintonia com a natureza, parou voltada para o lugar do seu sonho, respirou intensamente esse momento, abriu os braços, ardente de desejo, pelo príncipe das trevas, rebolou pelo chão de pedra fria como o toque do seu amado, mordeu os lábios quentes de morte por um beijo do alem, tocou-se intensamente, gritou de um prazer louco e imortal, chamou a si os demónios sedentos do seu sangue, delirava, envolta no suor da sua pele branca de cetim, o seu ventre fervilhava de paixão...
E então ele chegou... O cavaleiro negro irrompeu pela janela, ela gemeu de prazer, lançou-se nos seus braços e deixou-se envolver nas suas asas ainda mais negras que a noite.
O cavaleiro pegou-lhe e jogou-a na cama de pedra, segurou-lhe as pernas e com um movimento brusco separou-as, e lentamente beijou-a sentindo na sua boca um mar doce e cristalino, a jovem contorcia-se de desejo, ao toque da sua língua a pele sedosa e pura ganhava um cor baça e uma textura rugosa... As suas mãos negras tocaram os seios imponentes da jovem que secaram como que por magia tornando-os flácidos e sem vida, por fim penetro-a, com o fogo de mil infernos, ela gemeu... Abriu os olhos e sorriu para o cavaleiro que a fulminou com o seu olhar vazio e cortante.
Ele tocou ao de leve com os seus lábios em cada um daqueles olhos palpitantes como duas chamas que se apagaram naquele instante para todo o sempre... Possui-a freneticamente, com a intensidade crua, e cruel do dia do juízo final... Quando finalmente derramou dentro daquele já desfigurado corpo a semente da podridão de milénios de sofrimento...Parou... Sentou-se ao lado da outrora bela e jovem moça e abriu-lhe o peito... Arrancou-lhe o coração, levou-o à boca e espremeu-o até não restar uma gota de sangue, uma gota de vida naquele corpo.
O cavaleiro negro levantou-se, pegou pela mão aquele quase cadavérico corpo e dirigiu – se para a janela, olhou para a noite que urgia em partir a qualquer momento ameaçada pelos raios dourados de um sol pleno de vida que teimavam em subjugar a escuridão numa luta de titãs eterna como o tempo, e disse: - Salta!...
.... Ela ainda ouviu, em pleno voo no abismo... A voz dizer...- A morte è desígnio dos DEUSES...
Mas ela sorriu...
...Eu mando no meu destino...

jorge@ntunes

5 comentários:

Paula Raposo disse...

Jorge! Arrepiante e maravilhoso o teu texto! Gosto tanto do que escreves...Beijinhos

mar_praia disse...

"Mas ela sorriu...
...Eu mando no meu destino..."

Exactamente, cada um de nós manda no nosso destino, somos nós que o fazemos e que conduzimos nossa vida, por isso é sempre tempo de mudar o que achamos que está incorrecto!

Que tinhas jeito para escrever o que te vai na alma, eu já sabia mas hoje confirmei que o teu jeito é geral... que as letras fazem parte de ti!

Adorei...
Beijão enorme

Paula Raposo disse...

Jorge...já gostava imenso do que escrevias, mas agora que já falámos, que já nos conhecemos um pouco, ainda gosto mais de ti e de tudo o que transmites...muitos beijos, espero o próximo...

Aromas Do Mar disse...

Tens a sensibilidade na ponta dos dedos e isso salta a cada postar teu e a cadapalavra trocada.


Não te preocupes, eu estou bem. Obrigada pelo teu cuidado :)

Beijoka grande

Silêncios disse...

Arrasador... fiquei triste...pelo menos ela sorriu,acreditando mandar no seu destino...

Related Posts with Thumbnails