sexta-feira, outubro 01, 2010




De todos os lugares de onde não sou
Um mais que todos o não quero
Aquele lugar entre o limbo e a morte
O mesmo, onde a vida, ainda espero

Seduzo a noite com um gesto só
O mesmo com que ela me seduziu
Poiso meu mais negro degredo
No mais negro lugar que o dia viu

E lá, nesse silêncio e negrume
Me acendo virgem em outro lume
Em outro caminho qualquer

Entre as negras asas do ciúme
Nas vagas do mar em cardume
Queira ele tomar o que é seu… se me quiser…


POETIK

5 comentários:

Salete Cattae disse...

"E lá, nesse silêncio e negrume
Me acendo virgem em outro lume
Em outro caminho qualquer"

Quando a chama da vida se apaga, não nos importa muito o caminho o que importa mesmo é o recomeçar ...

Lindo demais isso Poetik.

bjs querido e bom final de semana.

Insana disse...

Eu realmente tenho medo do silencio.

bjs
Insana

Fernández ♠♠ disse...

Sem duvida temos aqui um belo soneto. A tematica sombria contribuiu para a riqueza do mesmo.

Muito bom!!

http://terza-rima.blogspot.com/

Lou Albergaria disse...

Lindo!

Ah, eu quero sim...

Há presente para vc no blog OS AMIGOS DA LOBA DE RAY BAN.

BEIJÃO!

@lexis disse...

tou à vontade para escrever já que não publicas mm...

"O que tu queres sei eu....!!!!"

Related Posts with Thumbnails