quarta-feira, janeiro 04, 2006

cruX



Podes tirar-me quem amo
podes levar por quem chamo
nas horas de solidão
podes negar-me a alegria
apagar a luz deste dia
gelar o meu coração

podes matar toda a vida
a minha alma perdida
a minha vontade de ser
podes negar que eu consiga
fugir à minha desdita
desta morte sem morrer

podes rir deste meu fado
veres-me tombar de cansado
do peso da minha cruz
que as lágrimas que eu chorar
hão-de um dia ser um mar
que um dia...ainda...
uma gaivota seduz

jorge@ntunes

4 comentários:

Silêncios disse...

Pois, ninguém se rirá desse teu fado...
pois é tão comum aos pobres mortais...
Há que sobreviver...

MEDUSA disse...

O poema é bonito embora deprimente...
mas assenta que nem luva dentro do teu estilo!
bjos

Cristina disse...

Olá
Ano Novo...Vida Nova...lá diz o ditado !!!
No começo deste novo Ano,
resolvi dar ao "meu mundo",o meu nome .
A partir de hoje ,podes-me encontrar em :

http://omundodacris.blogspot.com

Desde já peço desculpas, pelo incómodo que te possa causar.
Beijinhuss

Paula Raposo disse...

Uma gaivota...Beijinhos, escusado será repetir como gosto do teu poema.

Related Posts with Thumbnails