terça-feira, dezembro 27, 2005

e vou...




Hoje o tempo não corre
não me foge do olhar
hoje o tempo não morre
sem me ver chorar

desnudo a minha vontade
e frágil me entrego
num adeus ao mundo
sem alma liberto

e vou nas asas do sonho
ao sabor do fim
em busca do céu
em busca de mim

sinto leve a lágrima que me pesa
sabe-me a mar e a saudade
sinto-lhe o peso da vida
a leveza de outra idade

e pó do pó que me fez
moro no vento a sonhar
e posso sempre partir
e posso sempre voltar

e o tempo que não corre
que não me foge do olhar
não há-de morrer um dia
sem que me possa amar

jorge@ntunes

4 comentários:

mar_praia disse...

Amigo deixo-te apenas um beijo, não sou capaz de escrever mais nada, desculpa!

Paula Raposo disse...

Belíssimo! Beijinhos.

Silêncios disse...

Virá o dia em que essa alma sorri e deixa de se martirizar tanto? Ou será que toda a força que demonstras é só para castigar os outros?
Pensa bem, se vale a pena...é sempre certo o tempo de renascer para a vida...
Deixo-te um abraço apertado

Anónimo disse...

Querido,você me deixa encantada com teus Poemas.Amei de paixão,o Poema a imagem e a música...É muito gratificante ler oq vc escreve.Simplesmente adorei...
Beijinhos e ficas na Paz.
Geminiana

Related Posts with Thumbnails