sexta-feira, outubro 07, 2005

gnoseylanDia



Trazes sonhos no olhar
quimeras de outros lugares
trazes rios, trazes luas
que tocaram outros mares

trazes contigo palavras
que nunca ninguém escreveu
de coisas que ninguém teve
que toda a gente perdeu

ainda que o tempo não pare
que de ti queira fugir
hás-de correr para ele
ele há-de te ver sorrir

serás sempre uma criança
uma esperança demorada
uma vontade que manda
a luz na alvorada

que o mundo não te desleixe
que os homens não te condenem
que nunca a voz te trema
e as lágrimas te tentem

sê a minha utopia
a verdade de um dilema
faz o que quiseres à vida
sê na vida este poema

jorge@ntunes

5 comentários:

Gnose disse...

Que a vida percorra os rastos das palavras que contornam este poema... e que sempre sintas o mesmo neste lugar, a que chamas "gnoseylanDia"...

mar_praia disse...

"ainda que o tempo não pare
que de ti queira fugir
hás-de correr para ele
ele há-de te ver sorrir"

E vai ser mesmo assim!

Adorei este poema, estás cada dia melhor!
Beijão enorme

Paula Raposo disse...

Estou arrepiada...um arrepio bom, bonito, ao ler este poema tão belo! Um poema para o qual não tenho adjectivo...adorei. Beijos para ti

Silêncios disse...

"faz o que quiseres á vida
sê na vida este poema"
mesmo que isso não seja sempre possível,há que desfrutar os momentos em que conseguimos...

Anónimo disse...

"Sê na vida este poema"
Nunca desistas daquilo que queres ser e sê feliz.

Beijos da tua mana

Paula Antunes

Related Posts with Thumbnails